A Colisão de Deus com o Pecado
6 de abril
Carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados.
1 Pedro 2:24
6 de abril

A cruz de Jesus é a manifestação do juízo de Deus sobre o pecado. Não podemos tolerar jamais a ideia de martírio associada à cruz de Jesus Cristo. A cruz foi um sublime triunfo, que fez os fundamentos do inferno serem abalados. Não há nada mais certo, no tempo ou na eternidade, do que o que Jesus Cristo fez na Sua cruz: dum momento para outro ele recolocou toda a raça humana às portas dum relacionamento concreto com Deus. Ele fez da redenção a base da vida humana — abriu o caminho para que todo filho de homem pudesse entrar facilmente numa comunhão sadia com Deus.

A cruz não foi um acaso para Jesus: ele veio propositadamente para passar por ela. Ele é o “Cordeiro que foi morto, desde a fundação do mundo”, Apoc.13:8. Todo o sentido da encarnação está pregado na cruz. Cuidemos para não separar o Deus da carne do Filho, o qual “se manifestou em carne e se fez pecado por nós”, 1 Tim.3:16; 2 Cor.5:21. A encarnação tinha como finalidade a redenção. Deus fez-se homem e carne com o propósito de eliminar o pecado de vez; não com o propósito de se auto-realizar. A cruz é o centro do tempo e da eternidade, a resposta para os enigmas de ambos.

A cruz não é a cruz dum homem, mas a cruz de Deus e a cruz de Deus nunca poderá ser entendida por uma simples experiência humana. A cruz é Deus a demonstrar a Sua natureza, o portal através do qual qualquer indivíduo da raça humana pode entrar para uma união de facto com Deus. Podemos chegar à cruz, mas não poderemos transpô-la; nela vivemos a vida para a qual a cruz é também o acesso.

O ponto fulcral da salvação é a cruz de Jesus e a razão por que é tão fácil obter a salvação explica-se no alto preço que esta custou a Deus. A cruz é o ponto onde Deus e o pecador colidem e o caminho para a vida se abre – mas a colisão dá-se no coração do homem e impacto foi absorvido pelo coração de Deus.

Bíblia em um ano: 1 Samuel 4-6; Lucas 9:1-17

Escrito por Oswald Chambers.

Confira mais devocionais escritos por Oswald Chambers, no original clicando aqui.

Texto retirado e traduzido de Utmost.org

Pode um Santo Acusar Deus de Falsidade?

Pode um Santo Acusar Deus de Falsidade?

Jesus contou a parábola dos talentos, narrada em Mat.25, como uma advertência de que é possível estimarmos erroneamente nossa capacidade. Essa parábola nada tem a ver com dons naturais, mas com o dom de Pentecostes do Espírito Santo. Não devemos medir nossa capacidade...

Esteja Atento Contra as Tentações Mínimas

Esteja Atento Contra as Tentações Mínimas

Joabe passou na grande prova; permaneceu absolutamente leal a Davi e não foi atrás do Absalão fascinante e ambicioso. Mas, ainda assim, perto do fim da sua vida, desviou-se e seguiu o covarde Adonias. Permaneça atento, pois onde alguém recuou é exatamente o ponto onde...

Prontidão

Prontidão

Quando Deus nos chama, muitos de nós nos confundimos com isso, como que perdidos num nevoeiro e nem respondemos sequer. Esta resposta de Moisés demonstrou que ele sabia onde estava e como estava. Disponibilidade significa um relacionamento integral com o Deus vivo e...

Share This