Os Caminhos Para Uma Fé constante
4 de abril
Eis que vem a hora... em que sereis dispersos.
João 16:32
4 de abril

Jesus não está repreendendo os seus discípulos nesta passagem; a fé que eles tinham era real, mas era desordenada e desfocada, não era atuante dentro de coisas concretas. Os discípulos estavam dispersos, preocupados com seus próprios interesses, voltados para interesses que não eram os de Jesus Cristo. Depois de entrarmos num relacionamento perfeito com Deus pela santificação, nossa fé tem que ser exercitada em coisas mais concretas. Seremos dispersos, não para o trabalho, mas para as desolações íntimas e para sabermos o que significa morrer para aceder às bênçãos de Deus. Estaremos preparados para isso? Não que tenhamos escolhido, mas é que Deus maneja nossas circunstâncias de modo a que cheguemos a tal fim. Enquanto não tivermos passado por essa experiência, nossa fé será sustentada apenas por sentimentos e com bênçãos. Mas, uma vez lá, não importa onde Deus nos coloca, nem quais as desolações íntimas pelas quais possamos haver experimentado, podemos louvar a Deus porque tudo está bem de facto. Essa é a fé que opera nas coisas concretas.

“… E me deixareis só”. Teremos abandonado Jesus sendo dispersivos diante de sua providência? Porque não vermos Deus em nossas situações? A escuridão nos sobrevém pela soberania de Deus também. Estaremos preparados para deixar que Deus faça de nós o que ele quiser quando desejar? Estaremos nós preparados para passar ao largo das suas bênçãos também, para longe delas? Enquanto Jesus Cristo não for o Senhor de toda a nossa vida, teremos todos os outros objetivos próprios para atingirmos ainda; nossa fé, embora autêntica, ainda não é sólida e concreta. Deus nunca se apressa; se esperarmos, Deus nos mostrará que nossos interesses não estão voltados para ele, mas apenas para suas bênçãos. O sentir as bênçãos de Deus é uma mera importância básica.

“Tende bom ânimo, eu venci o mundo”, João 16:33. Constância (eternidade) espiritual é o que de mais precisamos.

Bíblia em um ano: Rute 1-4; Lucas 8:1-25

Escrito por Oswald Chambers.

Confira mais devocionais escritos por Oswald Chambers, no original clicando aqui.

Texto retirado e traduzido de Utmost.org

Pode um Santo Acusar Deus de Falsidade?

Pode um Santo Acusar Deus de Falsidade?

Jesus contou a parábola dos talentos, narrada em Mat.25, como uma advertência de que é possível estimarmos erroneamente nossa capacidade. Essa parábola nada tem a ver com dons naturais, mas com o dom de Pentecostes do Espírito Santo. Não devemos medir nossa capacidade...

Esteja Atento Contra as Tentações Mínimas

Esteja Atento Contra as Tentações Mínimas

Joabe passou na grande prova; permaneceu absolutamente leal a Davi e não foi atrás do Absalão fascinante e ambicioso. Mas, ainda assim, perto do fim da sua vida, desviou-se e seguiu o covarde Adonias. Permaneça atento, pois onde alguém recuou é exatamente o ponto onde...

Prontidão

Prontidão

Quando Deus nos chama, muitos de nós nos confundimos com isso, como que perdidos num nevoeiro e nem respondemos sequer. Esta resposta de Moisés demonstrou que ele sabia onde estava e como estava. Disponibilidade significa um relacionamento integral com o Deus vivo e...

Share This