Plano de Leitura Cronológico

novembro

01

segunda-feira
Lucas – Parte 10
Lucas 19-20
304 de 365 dias
1 de novembro

Sumário:
Zaqueu, o publicano; A parábola das dez minas; A entrada triunfal de Jesus em Jerusalém; Jesus chora à vista de Jerusalém; A purificação do templo; O Mestre ensina no templo; A autoridade de Jesus e o batismo de João; A parábola dos lavradores maus; A questão do tributo; Os saduceus e a ressurreição; O Cristo, filho de Davi; Jesus censura os escribas

 

CAPÍTULO 19

1 E [Jesus] entrou e foi passando por Jericó.
2 E eis que havia ali um homem, chamado pelo nome de Zaqueu, e este era chefe dos cobradores de impostos, e era rico.
3 E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era pequeno de altura.
4 E correndo com antecedência, subiu em uma árvore de frutos que parecem figos, para o ver; porque ele passaria por ali.
5 E quando Jesus chegou a aquele lugar, olhando para cima, o viu, e disse-lhe: Zaqueu, apressa-te, e desce; porque hoje é necessário que eu fique em tua casa.
6 E apressando-se, desceu, e o recebeu com alegria.
7 E todos, vendo [isto] , murmuravam, dizendo: Ele entrou para se hospedar com um homem pecador.
8 E Zaqueu, levantando-se, disse ao Senhor: Senhor, eis que dou a metade de meus bens aos pobres; e se eu consegui algo enganando a alguém, eu [o] devolvo quatro vezes mais.
9 E Jesus lhe disse: Hoje houve salvação nesta casa, porque ele também é filho de Abraão.
10 Porque o Filho do homem veio para buscar, e para salvar o que tinha se perdido.
11 E ouvindo eles estas coisas, [Jesus] prosseguiu, e disse uma parábola, porque estava perto de Jerusalém, e pensavam que logo o Reino seria manifesto.
12 Disse, pois: Um certo homem nobre partiu para uma terra distante.
13 E chamando dez servos seus, deu-lhes dez minas, e disse-lhes: Investi até que eu venha;
14 E seus cidadãos o odiavam; e mandaram representantes depois dele, dizendo: Não queremos que este reine sobre nós.
15 E aconteceu que, quando ele voltou, tendo tomado o reino, disse que lhe chamassem a aqueles servos, a quem tinha dado o dinheiro, para saber o que cada um tinha ganho fazendo investimentos.
16 E veio o primeiro, dizendo: Senhor, tua mina rendeu outras dez minas.
17 E ele lhe disse: Ótimo, bom servo! Por teres sido fiel no pouco, terás autoridade sobre dez cidades.
18 E veio o segundo, dizendo: Senhor, tua mina rendeu cinco minas.
19 E disse também a este: E tu [governarás] cinco cidades.
20 E veio outro, dizendo: Eis aqui tua mina, que guardei em um lenço.
21 Porque tive medo de ti, que és um homem rigoroso, que tomas o que não puseste, e colhes o que não semeaste.
22 Porém ele lhe disse: Servo mau, por tua boca eu te julgarei; tu sabias que eu era um homem rigoroso, que tomo o que não pus, e que colho o que não semeei;
23 Por que, então, não puseste meu dinheiro no banco; e quando eu viesse, o receberia de volta com juros?
24 E disse aos que estavam com ele: Tirai-lhe a mina, e dai-a ao que tem as dez minas.
25 E eles lhe disseram: Senhor, ele [já] tem dez minas.
26 O senhor respondeu:] Porque eu vos digo, que todo aquele que tiver, lhe será dado; mas ao que não tiver, até o que tem, lhe será tirado.
27 Porém a aqueles meus inimigos, que não quiseram que eu reinasse sobre eles, trazei [- os] aqui, e matai [-os] diante de mim.
28 E dito isto, ele foi caminhando adiante, subindo para Jerusalém.
29 E aconteceu que, chegando perto de Betfagé, e de Betânia, ao monte chamado das Oliveiras, mandou a dois de seus discípulos,
30 Dizendo: Ide à aldeia que está em frente; onde, ao entrardes, achareis um potro atado, em que ninguém jamais se sentou; soltai-o, e trazei [-o] .
31 E se alguém vos perguntar: Por que [o] soltais? Direis assim a ele: Porque o Senhor precisa dele.
32 E indo os que tinham sido mandados, acharam como lhes disse:
33 E soltando o potro, seus donos lhe disseram: Por que soltais o potro?
34 E eles disseram: O Senhor precisa dele.
35 E o trouxeram a Jesus; e lançando suas roupas sobre o potro, puseram Jesus montado nele.
36 E indo ele andando, estendiam suas roupas pelo caminho.
37 E quando já chegava perto da descida do monte das Oliveiras, toda a multidão de discípulos, com alegria começou a louvar a Deus em alta voz, por todas as maravilhas que tinham visto,
38 Dizendo: Bendito o Rei que vem em nome do Senhor; paz no céu, e glória nas alturas.
39 E alguns dos fariseus da multidão lhe disseram: Mestre, repreende a teus discípulos.
40 E respondendo ele, disse-lhes: Digo-vos, que se estes se calarem, as pedras clamariam.
41 E quando já estava chegando, viu a cidade, e chorou por causa dela,
42 Dizendo: Ah, se tu também conhecesses, pelo menos neste teu dia, aquilo que lhe traria paz! Mas agora [isto] está escondido de teus olhos.
43 Porque dias virão sobre ti, em que teus inimigos lhe cercarão com barricadas, e ao redor te sitiarão, e lhe pressionarão por todos os lados.
44 E derrubarão a ti, e a teus filhos; e não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não conheceste o tempo em que foste visitada.
45 E entrando no Templo, começou a expulsar a todos os que vendiam e compravam ali,
46 Dizendo-lhes: Está escrito: Minha casa é casa de oração; Mas vós a tendes feito um esconderijo de ladrões.
47 E ensinava diariamente no Templo; e os chefes dos sacerdotes, e os escribas, e os chefes do povo, procuravam matá-lo.
48 E não achavam como fazer, porque todo o povo o ouvia com muita atenção.

 

CAPÍTULO 20

1 E aconteceu, num daqueles dias que, enquanto ele estava ensinando ao povo no Templo, e anunciando o Evangelho, vieram até ele os chefes dos sacerdotes, e os escribas com os anciãos.
2 E falaram-lhe, dizendo: Dize-nos, com que autoridade fazes estas coisas? Ou quem é o que te deu esta autoridade?
3 E respondendo ele, disse-lhes: Também eu vos perguntarei algo, e dizei-me:
4 O batismo de João era do céu, ou dos homens?
5 E eles discutiam entre si, dizendo: Se dissermos: Do céu, ele nos dirá: Por que, então, vós não [o] crestes?
6 E se dissermos: Dos homens, todo o povo nos apedrejará; pois estão convencidos de que João era profeta.
7 E responderam que não sabiam de onde [era] .
8 E Jesus lhes disse: Nem eu vos direi com que autoridade eu faço estas coisas.
9 E começou a dizer ao povo esta parábola: Um certo homem plantou uma vinha, e a arrendou a [uns] lavradores, e viajou para outro país por muito tempo.
10 E certo tempo [depois] mandou um servo aos lavradores, para que lhe dessem do fruto da vinha; mas os lavradores, espancando-o, mandaram [-no] sem coisa alguma.
11 E voltou a mandar outro servo; mas eles, espancando e humilhando também [a ele] , o mandaram sem nada.
12 E voltou a mandar ao terceiro; mas eles, ferindo também a este, [o] expulsaram.
13 E o senhor da vinha disse: Que farei? Mandarei a meu filho amado; talvez quando o verem, [o] respeitarão.
14 Mas os lavradores, vendo-o, discutiram entre si, dizendo: Este é o herdeiro; vamos matá-lo, para que a herança venha a ser nossa.
15 E expulsando-o da vinha, [o] mataram. O que, então, lhes fará o senhor da vinha?
16 Virá, e destruirá a estes lavradores, e dará a vinha a outros. E eles, ouvindo isto, disseram: Que [isto] nunca aconteça!
17 Mas [Jesus] , olhando para eles, disse: Por que, então, isto está escrito: A pedra que os construtores rejeitaram, essa foi posta como a principal da esquina?
18 Todo aquele que cair sobre aquela pedra, se quebrará em pedaços; e aquele sobre quem ela cair, se fará pó.
19 E os chefes dos sacerdotes e os escribas queriam detê-lo naquela mesma hora, mas temiam ao povo; porque entenderam que foi contra eles que ele tinha dito a parábola.
20 E, observando-o, mandaram espiões, que fingissem ser justos, para o pegarem por meio de algo que ele dissesse, e o entregarem ao poder e autoridade do governador.
21 E perguntaram-lhe, dizendo: Mestre, nós sabemos que falas e ensinas corretamente, e que não te importas com as aparências, mas na verdade tu ensinas o caminho de Deus.
22 É lícito para nós dar tributo a César, ou não?
23 E ele, entendendo a astúcia deles, disse-lhes: Por que me tentais?
|fn: N4 omite “Por que me tentais?”
24 Mostrai-me uma moeda; ela tem a imagem e a inscrição de quem? E eles, respondendo, disseram: De César.
25 Então lhes disse: Dai pois a César o que [é] de César, e a Deus o que [é] de Deus.
26 E não puderam lhe pegar em algo que ele tenha dito diante do povo; e maravilhados de sua resposta, calaram-se.
27 E chegando-se alguns dos saduceus, que negam haver a ressurreição, perguntaram-lhe,
28 Dizendo: Mestre, Moisés nos escreveu, que se o irmão de alguém morrer, tendo mulher, e morrer sem filhos, o irmão deve tomar a mulher, e gerar descendência a seu irmão.
29 Houve, pois, sete irmãos, e o primeiro tomou mulher, e morreu sem filhos.
30 E o segundo a tomou; e [também] este morreu sem filhos. []
|fn: N4 omite: a tomou; e também este morreu sem filhos
31 E o terceiro a tomou, e assim também os sete, e não deixaram filhos, e morreram.
32 E por fim, depois de todos, morreu também a mulher.
33 Na ressurreição, pois, ela será mulher de qual deles? Pois os sete a tiveram por mulher.
34 E respondendo Jesus, disse-lhes: Os filhos destes tempos se casam, e se dão em casamento.
35 Mas os que forem considerados dignos de alcançarem aqueles tempos futuros, e da ressurreição dos mortos, nem se casarão, nem se darão em casamento.
36 Porque já não podem mais morrer; pois são iguais aos anjos; e são filhos de Deus, pois são filhos da ressurreição.
37 E até Moisés mostrou, junto à sarça, que os mortos ressuscitam, quando ele chama ao Senhor de Deus de Abraão, e Deus de Isaque, e Deus de Jacó.
38 Ora, ele não é Deus de mortos, mas de vivos; pois todos vivem por causa dele.
39 E alguns dos escribas, respondendo, disseram: Mestre, bem disseste.
40 E não ousavam lhe perguntar mais nada.
41 E ele lhes disse: Como dizem que o Cristo é filho de Davi?
42 Pois o próprio Davi diz no livro dos Salmos: Disse o Senhor a meu Senhor: Senta-te à minha direita,
43 Até que eu ponha teus inimigos por escabelo de teus pés.
44 Se Davi o chama de Senhor, como, então, é seu filho?
45 Enquanto todo o povo estava ouvindo, ele disse a seus discípulos:
46 Tomai cuidado com os escribas, que querem andar roupas compridas, e amam as saudações nas praças, e as primeiras cadeiras nas sinagogas, e os primeiros assentos nos jantares.
47 Que devoram as casas das viúvas, e fingem fazer longas orações. Estes receberão mais grave condenação.

Bíblia em um ano: Lucas 19-20

Escrito por Oswald Chambers.

Confira mais devocionais escritos por Oswald Chambers, no original clicando aqui.

Texto retirado e traduzido de Utmost.org

Ontem

Ontem

Seguros contra nosso passado. "Deus pede as contas de tudo quanto passou…”, Ecl.3:15. No fim do ano, olhamos com grande expectativa tudo quanto Deus tem para o nosso futuro, mas mesmo assim podemos ficar aprisionados nos dias de ontem. O presente gozo da graça de Deus...

“E Cada Uma Das Virtudes que Possuímos…”

“E Cada Uma Das Virtudes que Possuímos…”

O Senhor nunca remenda nossas virtudes naturais, isto é, as nossas características naturais, anseios ou mesmo qualidades. Ele refaz todo o homem por dentro completamente. "Vos revistais de novo homem", Ef.4:24; ou seja, faça com que sua vida natural se revista com...

Desertor ou Discípulo?

Desertor ou Discípulo?

Quando Deus, através do seu Espírito, aplicando a Palavra, nos dá e fornece uma certa re­velação ou manifestação do que ele quer, temos de poder andar à luz dessa visão ainda, 1João1:7; nossa mente e alma vibrarão em excesso com isso; mas, se não obedecermos a essa...

Share This